upa-pacima

...que a vida continua!

sexta-feira, setembro 08, 2006

Na parvónia...

Então é assim. Saí de casa com o objectivo de ir tirar o Passaporte ao Governo Civil de Faro.
Chego lá por volta das 9h15 e deparo-me com um letreiro que dizia o seguinte: "Em virtude da enorme afluência de público ao novo sistema de emissão do Passaporte Electrónico Português, informam-se os interessados que o número de senhas distribuídas não poderá ser superior a 30 no período da manhã e 30 no período da tarde." Ora... Como em todos os serviços públicos, dirigi-me ao local onde se retiram as senhas, para aguardar a minha vez. Fui informada pela funcionária (e, se me permitem, já fora de prazo...!), que enquanto não atendessem as pessoas que se encontravam na sala, não dava mais senhas a ninguém! Isto com um tom agressivo! Note-se que foi feriado ontem em Faro, logo, deduzo que a funcionária se encontrasse BASTANTE cansada logo às 9h15 da manhã. Como boa portuguesa que sou, aguardei e não saí de lá enquanto não me deram uma senha (isto já por volta das 11 da manhã). Como eu, chegaram também outras pessoas, sem senha, as quais se puseram na fila atrás de mim. Como não havia senhas, já ninguém sabia quem tinha chegado primeiro. Armou-se uma grande confusão, pq uns diziam que se o horário de funcionamento era das 9h às 12h, tinham que ser atendidos. Enquanto isso, as funcionárias berravam atrás dos balcões, a pedir silêncio. Entretanto... EIS QUE CHEGA A AUTORIDADE! Ui... Discussão atrás de discussão, as funcionárias lá arranjaram senhas. Mas... Txanananam!!! Eram as supostas 30 senhas da tarde. Ou seja. Quem vai pra lá às 14h (hora de abertura da parte da tarde), já não pode ser atendido, pq as senhas da tarde foram dadas de manhã.
Eis que chega a minha altura de ser atendida. Mas ainda não foi desta... Estava uma mãe com um filho ao colo, tem prioridade. Mas o pai também queria ser atendido!!! Lá entra a autoridade em acção novamente. Fui atendida. Começo a dar os meus dados... Chega a parte da assinatura. Assino um papel, em cima de uma linha. A máquina não reconhece!!!!!!!!! Uma pessoa normal, faz uma assinatura direita, não? Mas ali não. Chega a parte de confirmar os dados. Tive 5 segundos pra ler nome, morada, telemóvel e etc, senão o sistema apagava e tinha que começar do início. Passado isto, tesouraria. Lá vou eu... E a discussão estoira novamente! A tesoureira desculpa-se dizendo "isto tem que fechar ao meio-dia, pq eu preciso de ir almoçar! Conheço pessoas que vêm pra cá às 6 da manhã à espera de senha...". E com isto me retirei.

Só aqui atendem um limite de 60 pessoas por dia. Não dão senhas. Põem as pessoas fora do estabelecimento pq precisam de ir almoçar. Que tal armar uma tendinha e um saco-cama à porta do Governo Civil de Faro? Hm?

E upa pa cima q a vida continua!!!!!!!!

2 Comments:

  • At 3:19 da tarde, Blogger elíptico said…

    Resumindo e concluindo: levaste um choque tecnológico! À força de tanto quererem levar isto para a frente, esquecem-se que há coisas que não são compatíveis. Os computadores são de última geração, o leitor da retina é de último estoiro, a pessoa até mete o dedo para deixar a impressão digital e tira a fotografia naquele momento. Esquecem-se depois é que as funcionárias públicas que atendem (algumas, não quero generalizar) ainda não têm as versões actualizadas. Devem ter-se ficado pelo 1.0 ou por uma versão beta muito fraquinha... E, como sabem, tanto o 1.0 como a versão beta do funcionalismo público só permite às funcionárias levantarem-se, sentarem-se, atenderem o telefone, dizerem as célebres frases: "Olhe, se quiser, tem aqui o Livro Amarelo para reclamar" e "O Doutor não está, hoje não vai poder assinar" e saírem às 5 da tarde, depois de terem cortado na casaca dos colegas. Está por chegar a versão 2.0, em teste em algumas repartições, onde a funcionária pública já diz: "Olá", "Faz favor de dizer" e "Obrigado, volte sempre". Há-de vir o dia.

     
  • At 3:24 da tarde, Blogger Ritukaa said…

    Tb ha-de vir o dia em que elas deixam de ler jornais e de pintar os lábios na hora do atendimento...

     

Enviar um comentário

<< Home